sexta-feira, 28 de abril de 2017

Cousas no dia a dia de um transmontano…


Decidi reformular este blogue, torna-lo um pouco mais abrangente e também mais pessoal. Continuarei a dar notícias sobre Vilarandelo, mas incluirei textos de opinião sobre o mundo que me rodeia, com alguma pitada de humor aqui e ali, enfim, a minha forma de ver as coisas e o que me rodeia…







Portugal - um país à beira mar plantado!

O ano de 2016 foi profícuo em coisas boas para este país à beira mar plantado. habituados a dar mais valor ao que os outros(os estrangeiros) fazem por este mundo fora, nem que seja "caquinha", mas se é estrangeira, é com certeza de boa qualidade. Vêmo-nos de repente  a dar-mo-nos conta que nós, os portugueses, aqueles tipos que vivem na cauda da Europa, são olhados de fora como uns parentes pobre, que até têm umas praias fixes, mas não sabem dar conta do recado ao nível das finanças e de outras coisas que não vale a pena aqui referir. 
Descobrimos durante o ano passado e com a ajuda do futebol e de outros desportos, que até somos bons nisto ou naquilo, até ganhamos medalhas em modalidades que nem é costume ganhar!!! Afinal o "Made in Portugal"  não é tão mau assim! O nosso ego cresceu! O nosso orgulho nacional extravasou! Passamos a andar mais de peito inchado com a bandeira em punho a gritar palavras de ordem:
- Somos os melhor da Europa!
- Calamos os franceses!
- Já ninguém nos chama "coitadinhos"
- Fabricamos o melhor calçado do mundo!
- Praticamos uma agricultura de qualidade!
- Os portugueses são o povo mais amistoso da Europa e quiçá do mundo!
- O patinho feio virou cisne!
- crise? qual crise? essa palavra aqui não existe!

De repente somos invadidos por turistas curiosos, gente que quer conhecer este paraíso à beira mar plantado. Experimentam a nossa comida, visitam os nossos monumentos, praias, feiras gastronómicas e um sem número de coisas boas que temos para oferecer. - Afinal isto aqui é um espetáculo! E é!
Proliferam vídeos na internet a dizer bem de nós, que somos um povo com muita tradição e historia, que estamos na vanguarda da tecnologia e outras coisas boas para levantar o nosso orgulho.
Até no campo da política, o nosso governo diz que as coisas já estão a melhorar! Vejam lá!
Nós somos um povo movidos pelo ego do orgulho e da inveja. Se as coisas correm bem somos os maiores, ninguém nos vence! Se a coisa dá para o torto, normalmente não assumimos o erro, culpando o mau tempo, a crise, o governo, o gato o cão ou o electricista! Ou então damos uma de ignorantes, mas orgulhosos!: ” – Eu não fui! Eu não sei de nada! É que nem ouvi tal coisa e nem tenho nada a ver com isso!!!”
Se a coisa corre mal, lá voltamos a comprar ao estrangeiro e a dizer que o que vem de fora é que é bom! Passamos a ser outra vez os “coitadinhos” da cauda da Europa a quem ninguém liga!
Não podemos andar assim aos altos e baixos, tipo intermitentes, à mercê dos nossos orgulhos parvos! Tão depressa achamos que somos bons, como drasticamente passamos para os piores e mais grave ainda, temos inveja dos que são bons!
Esta dualidade faz de nós um povo intranquilo, que não está bem onde está, que não cria raízes, que não ama de verdade a terra onde vive. Um Pai ou uma Mãe amam o seu filho independentemente de ele ser assim, assado, azul, vermelho ou verde, um santo ou o diabo.
Amando o nosso país independentemente dos defeitos que possa ter, faz de nós mais tolerantes. Mas é preciso sentirmo-nos portugueses a tempo inteiro e não só quando as coisas correm bem.

Se é para votar, votemos todos, não interessa onde pões a cruz, o que interessa é que vás. Se é para criticar, critica mas positivamente com pedagogia e sem deitar abaixo. Se é para dizer bem, diz, mas com o coração. Se é para ajudar, ajuda com um sorriso nos lábios, sem mostrar má vontade. Talvez assim o país melhor um pouco e nos vejam como pessoas mais sérias a tempo inteiro e não de vez em quando.


sexta-feira, 29 de julho de 2016

Rancho Folclórico da Casa do Povo Vilarandelo Celebra este 50 primaveras

É com muito orgulho que assistimos à celebração dos 50 anos de um grupo de folclore. Maior é a satisfação quando esse grupo é da nossa terra. São 50 anos a levar por este país e por essa Europa fora o nome e as tradições de Vilarandelo e do Concelho de Valpaços. Este ano o grupo levará a cabo algumas actividades para lembrar o seu aniversário. Deixo aqui o programa completo:


PROGRAMA COMPLETO DO 50.º DO RANCHO FOLCLÓRICO E ETNOGRÁFICO DA CASA DO POVO DE VILARANDELO

Domingo 14 de agosto
 -11:30 – Missa dominical
(animada pelo coral Alcininha e elementos do rancho Folclórico)

-13:00 – Almoço Convívio (para os atuais e antigos elementos do rancho)

- 17:00- Salão de festas da Casa do Povo - Espetáculo multidisciplinar - Nossa terra nossa gente…

A associação de Valpaços, Cronologia dos Sons, através do seu coro que integra elementos de todo o concelho, inclusivé de Vilarandelo, vai associar-se às festividades do 50.º aniversário do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Vilarandelo. Assim, o grupo coral da associação Cronologia dos Sons dirigido pelo maestro Francisco Doutel irá apresentar um trabalho multidisciplinar (música coral e instrumental, teatro, sombras chinesas e vídeo),  que tem por título “Nossa terra, nossa gente”.


As entradas para este espetáculo serão gratuitas.



quarta-feira, 29 de abril de 2015

GRAVAÇÃO DE CD DO RANCHO ETNOGRÁFICO DA CASA DO POVO DE VILARANDELO


Nos passados dias 13 e 14 de Março e recentemente dia 10 de Abril, o Rancho Folclórico de Vilarandelo gravou um CD com a editora “Emiliano Toste - Produções Multimédias" com etiqueta AÇOR.
Este CD terá a particularidade de fazer parte de uma coletânea nacional, onde foi selecionado 1 grupo por cada concelho. O Rancho Folclórico de Vilarandelo vem desta forma representar o concelho de Valpaços, bem como preservar em formato digital um pouco das nossas tradições para as gerações vindouras. Para além de fazer parte desta coletânea que muito nos dignifica, o CD estará brevemente à venda para quem o quiser adquirir. Neste momento está em fase de produção no estúdio da editora.






sexta-feira, 6 de junho de 2014

Campeonato Nacional 2014 de Enduro em Valpaços/Vilarandelo


72º aniversário da Casa do Povo de Vilarandelo,


No próximo dia 7 de Junho(sábado) e no âmbito do 72º aniversário da Casa do Povo de Vilarandelo, vão estar em palco duas filhas da nossa terra(Melissa Fontoura e Nádia Fidalgo). Ambas integram um trio(Trio In Tempore) composto por: piano(Melissa), Soprano(Nádia) e Barítono(José Corvelo). 
Para alem do "Trio In Tempore", teremos a presença da "Camerata de Cordas" da Escola Superior de Música e Artes do espetáculo do Porto.
Serão interpretadas obras de Vivaldi, Martini, Carulli, Rossini, Mozart, Grieg, Verdi, Croner de Vasconcelos,
Francisco Lacerda, entre outros.

Esta Grande Gala está marcada para as 21h30 e será com certeza uma noite muito, agradável.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Vilarandelo está na linha da frente no desporto de duas e quatro rodas.

Vilarandelo está na linha da frente no desporto de duas e quatro rodas, vamos ter um ano em cheio: XIº Raid TT Rota do Folar(organizado pelo grupo TT Usprigozus Vilarandelo), Rali Rota Do Folar(Organizado pelo clube Automóvel de Vilarandelo) e Campeonato Nacional de Enduro(organizado pelo grupo TT Sede Usprigosus), parabéns a toda esta gente que se mobiliza em prol do nosso Concelho. Bem hajam a todos!





quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Agosto, mês das festas/ Setembro mês da política!

Em primeiro lugar aproveito para dar os meu parabéns aos comissários da Festa de Vilarandelo2013. Para além de terem organizado um programa para todos os gostos e para praticamente todo o mês de Agosto, criaram perto do Santuário do Senhor dos Milagres (junta à escola), um novo espaço que dignificará as festas nos próximos anos. Este ano a novidade foi a noite brasileira que inaugurou o novo bar feito num tempo recorde e como disse atrás, vai dignificar e trazer a festa mais perto do espaço do Santuário. Manteve-se em relação ao ano passado (e bem) a Feirinha da Caçonia e o Torneio de Futsal. Tivemos no salão de festas da Casa do Povo (à semelhança do ano passado) um grande espetáculo de magia com o Guto mágico e outros grandes nomes da magia nacional. No dia a seguir (Quinta-feira), também na Casa do Povo, foi a vez de se celebrar os 30 anos da escola de Música Osnabruck. O Professor Francisco Doutel é a cara dum projeto que começou à 30 anos em Vilarandelo. A Gala de aniversário desta escola começou com a atuação do coro da Associação Cronologia dos Sons, também sob a Direcção do Prof. Francisco Doutel. Na segunda parte da Gala, revisitou-se algumas músicas da autoria do maestro "Chico"(como é mais conhecido). O espetáculo foi conduzido pela Patrícia Doutel, que em jeito de talkshow, intercalou a entrevista com a música. Tenho a dizer que foi um espetáculo muito bonito, indescritível, só quem lá esteve e se arrepiou(no bom sentido) com as músicas é que sabe o que estou a dizer. Eu sou da opinião que as homenagens devem de ser feitas quando as pessoas estão vivas e o Chico merecia uma homenagem destas.

Não vou aqui deixar fotos do que foi a nossa festa porque não tive tempo, até porque (embora não sendo da Comissão) também estive de uma maneira ou de outra envolvido. mas deixo aqui o blog do Sr. José Coroado: http://vilarandelo-umdiaumaimagem.blogspot.pt/ , que tem muitas imagens bonitas da nossa festa. é favor de lhe fazerem uma visita!


Na minha modesta opinião, o mês de Agosto é o pior do ano! Por várias razões: por ser tudo mais caro, porque há mais gente e a confusão é maior, porque é o mês mais quente e finalmente porque acho que há festas a mais! Ainda por cima em tempo de crise, ao invés de diminuírem, são cada vez mais, enfim, É apenas uma opinião minha.
Mas este ano o mês de Setembro é uma espécie de prolongamento de Agosto no que respeita a festas e acontecimentos. Por todo o pais proliferam as campanhas eleitorais, umas mais barulhentas que outras, onde os candidatos muitas vezes vociferam palavras de ódio contras outros candidatos. Enfim, precisamos de campanhas limpas, com menos barulho e mais debates/diálogos, com menos intrigas e mais respeito. É preciso que os candidatos e o governo incentivem o povo a ir votar, porque senão um dia correremos o risco de que a abstenção ganhe a maioria.
Depois, se não vamos votar, com que moral é que podemos falar dos políticos e da forma como nos governam?
Apelo apenas para o voto, é o nosso dever como cidadãos deste país, se nos abstemos dele, não teremos legitimidade moral para criticar o partido A , B ou C.